Casal me procurou por indicação de minha “amiga”


Quem já leu algum relato meu, saberá que eu sinto um tesão enorme e muito prazer em ver minha esposa transando com seu amante. Isso me fascina muito. Tanto de participar das transas, mas de especialmente só ficar olhando minha esposa safada fazer de tudo com seu amante.

Alem desse meu desejo, que já realizei, também já tive meus casos com outras mulheres, principalmente casadas, que são minhas preferidas e com casais. Foi por indicação de uma das mulheres casadas que já sai, que um casal iniciante de Curitiba, estando com fantasias e desejos de apimentar seu casamento, me ligaram, à fim de me conhecer pessoalmente.

Marcamos um encontro em Curitiba mesmo, pois moro em SC. Artur e Clara ( fictício ), é um casal perfeito, ambos na casa dos 34 anos. A Clara é morena e altura e peso bem proporcional. Uma mulher muito linda. Adorei ela.

Nesse primeiro encontro foi apenas para nos conhecermos e conversarmos e havendo interesse por parte da Clara, ela mesmo voltaria a me contatar.

Recebi a ligação da Clara, 4 dias depois. Ela confidenciou que gostou de mim e devido as boas informações da sua amiga, eles desejavam sair comigo. Fiquei super contente a agradecido por ser escolhido á ser o primeiro homem à participar dos desejos do casal.

Marcamos um encontro em Curitiba mesmo, para início da tarde. Fui bem cedo de manhã, assim não correria o risco de atraso.

Tanto o Artur e principalmente a Clara, estavam um pouco nervosos. Por isso, sugeri tomarmos alguma bebida em algum bar. Assim fizemos e ajudou muito para amenizar o clima. Apos mais de 1 hora, decidimos ir em um motel, escolhido pelo casal. Fomos no carro deles.

Estando no apto, o clima estava um pouco tenso. Eu fui tomar um banho e voltei pelado mesmo ao quarto. Tanto Artur e a Clara estavam sentados na cama. Fui em direção à Clara, peguei-a pela mão, deixando-a em pé. Abracei-a e comecei a passar minhas mãos pelo seu corpo, em especialmente nos seios e bunda. Ela aos poucos foi se soltando e pegou no meu pau, apertando com sua mãozinha delicada.

O Artur que estava vendo tudo de pertinho, falou para sua esposa dar uma chupadinha no meu pau. Ela acatou e foi se abaixando, até que começou a me chupar. Foi o suficiente para deixar meu pau bem duro. Eu segurava sua cabeça, as vezes forçando ela tentar por tudo na boca. Até conseguiu por duas ou tres vezes, mas tinha certa ânsia.

Seu marido incentivava sua esposa a chupar bem gostoso e eu adorava é claro. Esperei alguns minutos, e comecei a tirar a roupada Clara. Cada peça que caia, ia revelando seu corpo perfeito. Quando abaixei sua calcinha, me deparei com uma buceta totalmente lisa, em tom amarronzado e os lábios levemente separados. Fiz ela deitar na cama e cai de boca em sua buceta. Logo em seguida, seu marido começou a falar com ela, perguntando se estava gostoso. A Clara respondia que sim, que minha lingua era ótima. O Artur começou a beijar sua esposa, enquanto eu chupava a buceta. Quando a Clara já estava mexendo o quadril bastante e pediu para eu meter nela, acelerei minha chupadas e fiz ela gozar. Não esperei muito, coloquei uma camisinha. ( era o acerto ) e fui me ajeitando ente as pernas da Clara.

Nessa hora, seu marido ficou bem ao lado da esposa e ficou segurando uma das pernas bem aberta, para poder ver meu pau entrar na buceta da esposa. Passei um pouco de saliva e comecei a enfiar bem lentamente, para que a Clara sentisse meu pau entrando e o Artur poder apreciar todo o lance. Assim que enterrei tudo, a Clara tremeu e soluçou. Eu tirava quase tudo e punha de volta, assim fui deixando a Clara bem assanhada.

Seu marido não parava de perguntar à esposa que estava gostando. Ele estava eufórico de felicidade em presenciar a esposa sendo penetrada por outro pau.

Ficamos metendo por uns 8 minutos, quando o Artur falou para sua esposa, dar o cuzinho também. foi bem assim:

– Amor, dá sua bundinha. quero ver o pau do P. entrar nele. Deixa o P. comer ele.

A Clara respondeu:

– Se é isso que você deseja, eu também quero. Mete no meu cuzinho. Mete. Só poe de vagarinho.

A Clara se virou, ficando bruços na cama. Tinha um lubrificante no apto, assim passei bastante no meu cacete e dentro do seu rabinho.

Sentindo o desejo dos dois, comecei a forçar meu pau na entradinha daquele cuzinho marronzinho e cheio de pregas. Com certeza a Clara havia feito poucas vezes sexo anal, porque estava bem fechadinho.

Quando entrei, ela gemeu e se contraiu. Parei e fiquei esperando ela se acostumar e dar ordem para continuar. Foi pouco tempo, até que iniciei os entra e sai daquele rabinho gostoso. Era super apertado, mas como lubrifiquei bastante, meu pau deslizava fácil.

Como a Clara já estava relaxada, ela dava as ordens para fazer como ela queria. Eu apenas acatava, pois minha intenção era dar-lhe prazer. O Artur, para ver direito a enrabada na esposa, chegava a separar umas das nádegas, assim via perfeitamente meu pau enterrado nele. Ficamos mais de 10 minutos fazendo anal. A Clara conseguiu gozar no final, porque com uma das mãos, ficava se masturbando na buceta. Isso ajudou muito.

Antes de eu gozar, ela pediu para gozar na sua costa.

Realizei seu desejo, deixando sua bunda e costa toda gozada.

O casal demostrava total felicidade pelo ocorrido, tanto que sempre mantemos contatos.

Já saímos outra vez e passamos uma noite em um hotel em Balneário Camboriú. Foi simplesmente maravilhoso.

Abraços

mercosuljlle@hotmal.com

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s