Carta para um homem casado


Você estava participando de um jantar em um restaurante exclusivo da cidade onde morávamos. Em sua mesa encontravam-se alguns de seus melhores amigos. Sua esposa, como de costume, não o havia acompanhando. Porque todos sabiam que o seu casamento era de fachada e sua mulher, 20 anos mais jovem que você, não desejaria estar ali enfiada numa mesa com pessoas da sua faixa etária.

Decidi que seria o dia de lhe tirar do casulo e partir para ação! Eu não era uma mulher de esperar por atitudes masculinas. E no seu caso, querido, esperaria até cansar… Fiquei ali próxima à sua mesa imaginando o que eu teria sentido se eu estivesse sentada ali ao seu lado na mesa… Lembro-me de pensar que eu teria morrido no local! Estava com muita vontade de você!

Partindo para ação, posicionei a cadeira de maneira que pudesse lhe encarar com mais facilidade. Meu corpo estava cheio de vontade de senti-lo dentro de mim. O desejo era enlouquecedor e todas as safadezas passaram na minha mente àquele dia.

Você estava sentado calmamente a beber uma cerveja e eu propositadamente e abertamente, olhava fixamente para seus olhos. Esperando que em algum momento você notasse minha paquera. Um de seus amigos notou meu olhar cobiçador sobre você e por um instante nossos olhos se cruzaram e ele sorriu para mim e eu apenas sorri de volta e voltei a lhe encarar de maneira obcessiva.

Alguns minutos depois seu amigo voltou a olhar para mim e cutucou um de seus amigos sussurando algo em seu ouvido. Este outro amigo, também olhou para mim e mais de uma vez sorriram entre eles, o que chamou a atenção de outro amigo que estava sentado à sua frente e logo toda a mesa estava reparando em mim.

Nesse momento, não tive mais dúvidas e me levantei confiante da minha mesa caminhando em direção à sua. Vi seus olhos envergonhados e orgulhosos ao mesmo tempo cruzarem com os meus.

Ao me reconhecer, um olhar de horror tomou conta de seu rosto e seus olhos desviaram-se dos meus.

“Sinto muito por perturbá-lo”, eu disse, “Eu quero dar para você!

Bem, isso era o que eu queria dizer, mas na realidade eu disse :

Sinto muito por ter lhe encarando e eu não quis chamar a atenção de toda a mesa e dos demais senhores aqui presentes. Eu me chamo Melinda Rios e estava tentando me lembrar de onde o conheço, de onde o vi antes e a lembrança chegou agora há pouco a mim. O senhor chama-se Willians Rocamonde não é verdade? Eu o vi passar por mim em um de seus Ateliers. Eu estava interessada em um de seus quadros e perguntei sobre você a um de seus vendedores. Que me disse que o senhor tinha acabado de passar por mim. Eu nunca esqueço um rosto, ou um nome. Eu sinto muito por minha intrusão; desfrute do seu almoço. ”

Quando me virei para voltar para o meu lugar sorrindo interiormente para mim mesma, eu notei que todos estavam olhando para o meu rosto e você estava aliviado por eu não ter feito um escândalo na mesa.

Ter sido deixada nua e fodida em um quarto de motel depois de uma noite de sexo por um desconhecido não era algo comum em minha vida. A forma como você me usou aquela noite no motel me dando palmadas e gozando sobre meu rosto havia mexido comigo de tal maneira que apenas desejava ser fodida de novo e de novo…e de novo…

Mas … depois do choque inicial, eu me desculpei e me dirigi para o andar de baixo, deixando a minha mesa abandonada. É claro que você me seguiu. Havia uma porta no corredor da escada com os dizeres “ apenas para funcionários “você me alcançou rapidamente e pegou minha mão, abriu a porta e entramos clandestinamente na área proibida para estranhos.

Era um local de vestiário, onde a equipe poderia deixar seus pertences. Haviam também dois cubículos vazios e por sorte, não havia ninguém por perto.

Você me empurrou contra a parede e me beijou com urgência, sabendo que nós não teríamos muito tempo. Nossas mãos vagaram umas sobre o corpo do outro e você puxou para baixo a frente da minha blusa estilo cigana. O elástico ao redor do decote facilitou sua ação e pela violência do ato, meu sutiã foi também puxado para baixo revelando meus seios grandes e os bicos excitatos. Sua boca sugou automaticamente meus mamilos duros e suspirei um pouco alto demais enquanto você demonstrava quem mandava na situação.

Preocupado que alguém pudesse entrar; Eu o empurrei para dentro de um dos cubículo, fechando a porta atrás de nós. Rapidamente abrir suas calças e puxei sua cueca para baixo e pude sentir seu pênis crescer em minhas mãos. Você, por sua vez, deslizou a mão para debaixo da minha saia e deslizou seus dedos por entre o elástico da minha calcinha encontrando minha buceta já molhada e com contrações involuntárias.

Abaixei-me e abri a boca o máximo que pude colocando seu pau todo dentro dela. Mamei desesperada o que podia. Ouvi sua voz agoniada sussurrar palavras como “ Putinha” “ Boqueteira” “ Mamadora de pica “e movida por seu incentivo tornei-me todas essas palavras de uma só vez!

Nós dois estávamos perdidos no desejo um pelo outro e foi então que você me beijou profundamente. Sondamos a boca um do outro e nossas línguas exploraram os nossos dentes mordiscando os lábios um do outro. Meu clitóris estava inchado, implorando por seu toque … Você começou a esfregá-lo com firmeza e eu abrir as pernas o quanto pude.

Seu pênis estava tão duro e convidativo que eu só o queria na minha boca, para prová-lo e saboreá-lo. Eu guiei sua mão para longe do meu clitóris e a coloquei contra meu mamilo direito, onde você começou a apertar e enrolá-lo em seus dedos enquanto eu caía de joelhos novamente aos seus pés.

Lambi com fome o pré-gozo a partir da cabeça de seu pênis pulsante e rodei minha língua sobre ela antes de levá-lo para a direita dentro da minha boca. Com as mãos apalpando suas bolas, eu chupava forte, levando-o profundamente, quase até o fundo da minha garganta.

“ Era isso o que você estava querendo? Sentiu saudade dele? Sentiu saudades do boquete? “

Deve ter sido gostoso, pois senti seu pau pulsar envolto em minha língua e senti que seu orgamos estava prestes a explodir , porque de repente, você puxou seu pau da minha boca, bateu com ele em meu rosto forte, doeu como um tapa e me levantou do chão me empurrando contra a parede e grudou seu corpo no meu. Senti seu peso quase me machucar e ouvi suas palavras com tesão mais uma vez :

“ Pediu e vai levar ferro de novo! “

Você levantou minha saia e rapidamente puxou minha calcinha para baixo posicionou seu pênis na abertura da minha buceta muito lisa e depilada. Debruçou-se sobre minhas costas e começou a empurrar seu pau duro para dentro de mim. Eu estava consciente que em breve seria mais uma vez largada por você toda gozada em um local estranho.

Continua….

Todos os direitos reservados a Lorie Collins, New York City.

Trecho do livro : A vida sexual de Melinda Rios da escritora Lorie Collins.

loriecollinsescritora@outlook.com

Para ler o livro acompanhe os capítulos no wattpad na página da autora :

http://www.wattpad.com/a-vida-sexual-de-melinda-rios-i-carta-para-um?d=ud

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s