A amiguinha da cunhadinha


Ola galera, gostei dos comentários no meu último conto, estou gostando de dividir com vocês minhas experiências, todas são verídicas, e os comentários estão me incentivando a narra-las, lógico que tenho experiências que foram frustrantes, mas o importante é compartilhar o que vale a pena.

Vamos lá.

Ontem cheguei cedo do trabalho, perto das 16 horas, e fui direto para a casa da namorada, ela, a mãe e a cunhadinha estavam indo fazer compras e depois academia, nos despedimos e eu fiquei, tenho essa liberdade na casa dela.

Assim que saíram eu entrei para o banho, assim que sai do banheiro a campanhia toca. Fui atender somente de bermuda, era Larissa, amiguinha da minha cunhadinha, ela tem 20 anos, magrinha, corpo infantil, sem curvas, sem seios ou bumbum salientes, muito pequena, 47 kg, muito educada, fala vários idiomas e muito palavrão, ela já morou fora.

Falei:

– Oi!

E já adiantei a Larissa que a Faella (minha cunhadinha) não estava. Ela me cumprimentou com um beijo no rosto e falou:

– Oi! Já to sabendo que ela não esta, nos falamos por mensagem, vou ficar esperando aqui. Ela entrou e sentou na sala, passou alguns minutos e ela levantou e foi tomar um banho.

– Caralho! Ta um puta de um calor. E entrou no banheiro. Passou alguns minutos ela saiu do banheiro com um short curto e top, sentou no sofá em frente ao meu e começou a falar:

– Sabe que morei na Europa mais de um ano e lá tive várias experiências, principalmente no sexo, pena que os caras eram novos e não tinham pegada, igual a sua.

Ela falou isso e deu um sorriso. Eu perguntei:

– Como sabe que tenho pegada? E ela:

– A Faella me falou que vocês treparam e ela gozou pra caralho, que você é bom de foda por isso vim pra casa dela hoje, sei que estaria sozinho e se não ficasse sozinho iriamos armar um jeito de ficar com você.

Ela disse isso e levantou do lugar onde estava, tirou o top e o short ficando apenas de calcinha fio dental mostrando aquele corpinho infantil, sem curvas ou volume, e sentou no meu colo e já veio me beijando, mesmo pego de surpresa correspondi ao seu beijos, passando a mão na sua bundinha, me levantei com ela no meu colo e a deitei no sofá, comecei a chupar seus peitinhos ela gemia e falava:

– Vou adorar fuder com você, faz meses que não engulo uma rola com minha bucetinha, meu macho.

Larissa estava muito excitada, eu fui descendo pelo seu corpinho e cheguei na sua bocetinha com poucos pelos clarinhos, encostei minha boca na sua bocetinha ela gemeu, como era pequena consegui abocanhar ela toda, e desliza a língua por toda a extensão, e comecei a dar mais atenção no seu grelinho, segurei com a boca e chupava passando a língua, ela foi ao delírio:

– Caralho que língua gostosa, judia da sua putinha, que delícia seu safado.

Segurou minha cabeça e começou a rebolar bem rápido gozando em seguida, arreganhei suas pernas deixando na posição frango assado com a bunda levemente levantada e comecei a passar a língua no seu cuzinho, ela piscou e gemeu:

– Adoro tudo isso, adoro no cu também, hoje vou foder pra caralho…

Ela é muito depravada e fala muito palavrão, sente-me no sofá e ela veio por cima, encaixou meu pau na bocetinha e sentou, mesmo com toda a lubrificação entrou com dificuldade, Larissa tem a bocetinha muito apertada, ela começou a cavalgar e controlar a transa, subia e descia:

– Isso meu macho, fode a bocetinha da sua ninfa safada, eu adoro trepar, adoro foder, me arromba!!!!!

Em pouco tempo ela gozou, nunca vi uma menina tão nova fazer sexo tão gostoso. Ela gozou mais umas duas vezes e sempre falando palavrões. Levantei com ela no colo, meu pau continuou encaixado nela, ela segurou no meu pescoço e eu a segurei pela pequena bundinha, em pé comecei a socar meu pau nela, a filha da puta gostou e pressionava a bocetinha no meu pau, tipo pompoarismo, que vadiazinha mais gostosa, fui com ela no colo até a cozinha e a coloquei deitada na mesa e continuei metendo, me deu vontade de gozar e parei de bombar, a peguei no colo de novo e a levei para o quarto da minha sogra, a cama já estava bagunçada, coloquei ela na cama e a virei deixando de quatro, mais uma vez a penetrei, ela rebolava e pedia para socar mais forte. Como eu estava para gozar, tirei meu pau da sua bocetinha e falei:

– Se prepara piranhazinha, vou meter a rola no seu cuzinho. Ela falou;

– Adoro dar o cu, vem e fode bem gostoso, arromba ele.

Aproveitei que estava lambuzado pelo gozo dela encostei meu pau no seu cuzinho e empurrei, senti a resistência das suas preguinhas, desencostei e cuspi no seu cuzinho e pressionei de novo, a cabeça entrou e e la olhando para trás falou:

– Empurra sem dó que eu aguento, no começo é apertado, mas quando entra o resto fica mais fácil, fode logo a sua puta sem dó seu viado.

Ela literalmente adora uma putaria e adora dar. Segurei pela cintura e empurrei meu pau que entrou todo e comecei a bombar, que cuzinho apertado, socava com força e rápido, a vadia gemia e falava:

– Porra! To gozando com seu pau no cu! Que delicia!!!

Bombei mais um pouco a para não gozar tirei meu pau e olhei para seu cuzinho que estava aberto, arrombei o rabo da safada, ela me pegou pela mão e me levou até o banheiro, abriu o chuveiro e lavou meu pau, sentou no vaso e começou a chupar, lambendo e chupando. Olhou pra mim e falou:

– Para finalizar quero engolir sua porra! Vem goza na boca da sua putinha.

E começou a mamar, engolia o que podia da minha rola e alguns minutos depois gozei na sua boca que escorreu e ela não se contentou e ainda recolheu com o dedo e colocou na boca. Meu pau ainda estava duro, sentei no vaso e a puxei para meu colo e falei:

– Vem cavalgar no meu pau, agora com ele no seu cuzinho minha putinha.

Ela veio e encaixou meu pau no cuzinho e e sentou de uma vez, agora sem pressão pois seu cuzinho estava aberto. A segurei pela cintura e ajudei a subir e descer, bombei rápido e forte, foram quase 10 minutos assim até que eu gozei junto com ela, enchendo seu cuzinho de porra, e ela gemendo falava:

– Adoro levar pau no cu! Sou puta! Sou vadia e amo uma rola gostosa!!!!

Terminamos tomando banho juntos, arrumamos o banheiro e onde fizemos bagunça e voltamos para a sala.

Ela ainda me relatou que na Europa fez uma DP com dois meninos e também já transou com meninas, inclusive já fez um 69 com minha cunhadinha, e que a próxima transa nossa vai ser com as duas, eu dei risada e falei que estarei esperando elas marcarem o dia, dei um beijinho nela e fui deitar no quarto da minha namorada.

Acordei ouvindo vozes na cozinha, elas já tinham chegado e comendo um lanche, cumprimentei a todos e Larissa falou para minha sogra com voz melosa igual de criança

– Tia, seu genro é sem educação, não quis ficar na sala comigo dando atenção e deu risada. Minha sogra riu e falou:

– Perdoa ele, é que estava cansado.

E assim foi essa minha aventura e estou aguardando a nossa transa a três, e assim que acontecer irei narrar aqui.

Estou interessado em conhecer mulheres nesse site, se quiserem fazer contato enviem email para jobsbilljobs@gmail.com

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s