A pica que minha mulher adorou!


Por ter aumentado bastante o volume de serviço, afastei-me um pouco dos nossos contatos e das nossas aventuras, quando recebi a carta de um amigo do nordeste, com o qual trocamos muitas fotos das nossas esposas. Ele escreveu falando que viria ao Rio para fazer um curso e que gostaria de nos conhecer pessoalmente. Respondi-lhe então, enviando o meu telefone para que ligasse ao chegar, que eu iria verificar a possibilidade de um encontro. Cerca de duas semanas depois, Julio ligou informando que já havia chegado e que estava alojado num quartel, uma vez que ele era oficial da marinha mercante. Como na hora que ele ligou nós estávamos num mercado fazendo compras, passei o telefone para Mag, e depois de uma rápida conversa ficou acertado que o pegaríamos no dia seguinte no quartel para nos conhecermos.
Como combinado, encontramos com ele e fomos para um novo shopping, recém inaugurado, e acabamos entrando num restaurante para jantarmos. Não havia pressa, pois como a minha mulher estava menstruada, aquele encontro era mesmo só para jogar conversa fora. Apesar disto, o nosso amigo já foi se adiantando passando a mão nas coxas dela por debaixo da mesa, com a devida retribuição dela, apalpando-o da mesma forma, mas tudo muito discretamente, ao ponto de eu mesmo só ter sabido depois que o deixamos de volta. Depois da janta, demos mais uma volta olhando vitrines e regressamos ao quartel para deixá-lo, com a promessa de um novo encontro daí uma semana. Durante retorno, ele que estava atrás, ainda veio alisando as costas dela, e ao se despedirem, ainda deram um beijo tipo selinho.
Durante esta semana, minha esposa cuidou-se muito mais do que o normal, malhou mais, fez uma dieta, fez uma geral no salão, com direito a corte e pintura do cabelo, unhas e o mais importante, depilação total e não escondia seu entusiasmo para este novo encontro! Chegando o sábado, nos encaminhamos ao quartel para pegarmos o nosso amigo, que já nos aguardava dando mostras de que também estava ansioso. Sem rodeios, logo que arranquei com o carro, que nesta época era uma van, perguntei para os dois, o que achavam de irmos direto para um motel, o que foi aprovado imediatamente.
Ao entrarmos na luxuosa suíte, totalmente espelhada, Mag sentou-se na cabeceira da cama, sendo acompanhada pelo Júlio, e eu fui acomodar-me numa varanda isolada, deixando-os à vontade. Na verdade, eu fiquei numa posição estratégica onde me dava uma visão total da suíte, mas eu ficava oculto pois apaguei a luz desta varanda, e virei a televisão para a porta pra evitar uma visão direta deles!
Depois de acomodar-me, fui ao frigobar para pegar uma bebida, aproveitando para dar uma cerveja para o casal, e alegando que depois deveríamos ir a algum bar ou restaurante, sugeri que ela tirasse logo o vestido, para não amarrotá-lo. É claro que ela aceitou a sugestão de imediato, ficando só de calcinha e sutian, voltando a sentar-se onde estava. Nosso amigo então pediu licença para tirar a camisa, e eu fui me recolher na varanda, já que havia dado uma animada no casal! Do meu privilegiado lugar vi que agora ele já se animara um pouco mais passando as mãos pelos peitos dela, que para facilitar tirou o soutian e já ia tirando a calcinha também quando, para minha surpresa ele a deteve impedindo-a. Para falar a verdade, eu não entendi nada, mas tudo bem!
Aquele papo dos dois, durou mais de uns quarenta minutos, e eu só via eles se beijando, ele alisando os peitos dela, chupando-os, passando as mãos pelas coxas, mas nem tirar a calcinha dela, ele tirava. Num momento ele levantou-se para pegar outra cerveja, então ela me chamou para pedir um creme hidratante em sua bolsa, e como eu entendi o que ela queria, quando ele voltou insinuei que a Mag adorava uma massagem, e pedi para ela deitar-se de bruços, arranquei-lhe a calcinha, expondo aquele rabo delicioso, e pedi para que a massageasse! Ele não se fez de rogado, pedindo licença para tirar a calça (finalmente!) mas ficando ainda de sunga começou a massageá-la pelos ombros, costas e como não podia deixar de ser, ao chegar à bunda, esqueceu da vida, ficando muito tempo. Eu voltei para o meu lugar cativo para admirar o trabalho!
Depois de muito tempo, já com a minha mulher explodindo de excitação, foram tomar um banho, e mais uma vez ela me chamou para pedir um sabonete, que ela sempre trás na bolsa, e eu aproveitei para tirar uma foto dela, totalmente ensaboada por ele escorregando seus corpos, ora com o pau esfregando na bunda, ora na boceta depiladinha, duro como uma rocha!
Voltando para a cama, ela pediu para cavalgá-lo, pois já estava sedenta por sua pica, e começou a batalha! Da minha cadeira pude vê-la tendo o primeiro orgasmo, com o Julio apertando os seus peitos ouriçadíssimos. Neste instante ela deitou-se sobre ele para descansar um pouco, voltando a sentar-se outra vez, continuando a pular e rebolar em cima daquela pica! daí veio o segundo orgasmo, e no terceiro ela já saiu de cima, passando ele a bombear seguidamente, agora por cima dela numa posição de frango assado. Desta posição, ele tirou o pau e passou a comer o cuzinho da minha esposa, completando a felicidade dela, e só então, depois de quase duas horas com o pau dentro dela, que ele veio a gozar junto com ela. Nesta altura, após um pequeno descanso, foram tomar outro banho juntos.
Ao saírem deste segundo banho, Mag se jogou na cama satisfeita, cansada, mas muito feliz, puxando nosso amigo, para descansarem um pouco mais antes de sairmos, ficando abraçados, se beijando como dois namorados. Durante o banho, eu peguei as peças íntimas dela, enfiando no bolso, e quando se levantaram para irmos embora, eu disse para que fosse só com o vestido sobre a pele, o que ela achou ótimo!
Foi pouco depois de meia noite que saímos do motel, e ao dobrarmos a primeira esquina, parei o carro e perguntei se ela não gostaria de viajar atrás, o que a surpreendeu, mas imediatamente abriu a porta para entrar atrás! Mal eu arranquei com o carro, eu é que me surpreendi, pois ela entregou-me seu vestido para colocar no banco! E assim fizemos a viagem de volta, cerca de us vinte ou trinta quilômetros, com a minha mulher pelada, no colo do amigo no banco de trás! Ao chegarmos em frente ao alojamento dele, nos despedimos do outro lado da estrada, e eu sugeri que ela soltasse para se despedir, duvidando que ela o fizesse, e mais uma vez tive outra surpresa. Ela saiu do carro abraçou o Julio, deu-lhe um beijo na boca e correu para dentro do carro, completamente nua!
Ao ficarmos sós, partimos para os comentários, e a minha esposa confessou que o amigo era muito bom de vara mesmo, que nunca ela viu um sujeito com tanto controle, pois ela havia tido vários orgasmos e que o pau dele não amolecia nunca! E aquela história dele não ter a deixadoela tirar a calcinha logo, a deixou mais excitada ainda, louca por uma pica! Só para complementar, no dia seguinte eles se falaram pelo telefone e Julio disse que talvez os sentinelas possam ter a vistoela sair nua de dentro do carro, pois ao entrar no quartel, eles estavam disfarçando o riso!
Só quem tem a oportunidade de viver estes momentos, é que pode avaliar o tanto de emoção que se tem a cada experiência, e sabe como isto é importante na vida de um casal que se ama verdadeiramente! COSTA (fc.mag@hotmail.com)

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s