CHUPANDO PARA VALER


Passados um pouco mais de dois meses da nossa primeira
aventura com o amigo Valter, que foi o primeiro parceiro da minha
esposa, ele nos convidou para comermos uma pizza e jogar conversa fora
numa sexta feira. Como não podia deixar de ser, minha esposa adorou a
ideia, aceitando na hora. Mas eu já sabia que ao aceitar, ela já
estava pensando no que viria depois da pizza, e isso é o que mais me
interessava também.
No dia e horário marcado, quando chegamos à pizzaria, o nosso
amigo que já nos aguardava tomando um chopinho recebeu-nos com abraços
e passamos a conversar até chegarmos ao ponto que nos interessava:
sexo! Para não perder tempo, convidei-os para irmos para um motel para
conversarmos melhor, o que logicamente foi aprovado de imediato!
Como sempre, entramos no motel com o Valter escondido no porta
malas da nossa Quantum, e ao entrarmos na suite ele disse que iria
tomar um banho, e a Mag achou ótima ideia, começando logo a se livrar
das roupas, indo juntos e abraçados para a ducha.
Passados uns vinte ou mais minutos, voltaram para o quarto,
jogando-se na cama fazendo um 69, enquanto eu assistia um jornal da
televisão. A seguir, ela passou para cima dele para uma cavalgada, o
que lembrou-me uma dupla penetração. Com esta ideia, tirei a minha
roupa indo me colocar atrás dela, tentando enrabá-la, mas como senti
dificuldade na posição, resolvemos inverter, ficando eu por baixo, com
o pau dentro da sua xoxota e o Valter enrabando-a, já que o seu pau
era bem mais fino que o meu. Conseguimos depois de algumas tentativas,
mas a posição era um pouco incómoda, e concordamos que o melhor seria
ela chupar um enquanto o outro a penetrava, como já havíamos feito
desde a primeira vez. Como ele já estava enrabando-a, ela passou a
chupar o meu pau, mas eu tive que me controlar para não gozar, pois
alem da Mag não gostar e eu estar pensando em outra coisa diferente.
Apesar disso ela estava com a corda toda, chupando com vontade mesmo!
.
Durante uma pequena pausa para recarregar, comentando sobre
a dupla penetração, eu falei ao amigo que a Mag, embora goste muito de
chupar um pau, o que fazia com maestria, ao que ele também concordou,
mas estranhamente ela não gostava e nem deixava que gozassem dentro
da sua boca, uma coisa que ele ainda não havia percebido. Então,
começamos a pedir a ela que deixasse pelo menos por uma vez ele
descarregar seu leite na sua boca. Foi difícil convencê-la, mas por
fim, resolveu experimentar!
Tomamos mais uma cerveja, e depois de alguns amassos ela
passou a chupar o Valter, enquanto eu me colocava atrás dela com o pau
dentro da sua boceta, mas quase sem me movimentar, apreciando sua
desenvoltura, punhetando-o, passando a língua em torno da glande ou
lambendo todo o pau, que fazia o rapaz fazer caretas de prazer,
segurando a cabeça dela, puxando-a para si. Não sei bem o tempo a que
ele resistiu, mas quando explodiu, Mag quase engasgou, mas passou a
chupá-lo com mais intensidade, e passou a gozar também, pois eu senti
um grande calor no meu pau que estava dentro dela, sentindo o seu
interior alagar-se, o que também me fez gozar de imediato. Foi como
uma reação em cadeia, maravilhosa! Os três gozando seguidamente! Ela
continuou chupando ainda por um bom tempo, enquanto o meu suco se
misturava ao dela e começava escorrer para fora da boceta. Ficamos os
três extasiados por mais de uns quinze minutos. Estávamos todos
satisfeitos! Mais uma vez foram para o chuveiro, e algum tempo passado
fui juntar-me a eles, que se abraçavam e beijavam sob a água morna.
Ao retornar ao quarto, apesar de já termos comido uma pizza,
ela já havia sido digerida, e estávamos todos com fome. Pedi então
mais cerveja e sanduiches para reforçar e continuamos na sacanagem até
mais tarde.
Assim que lanchamos, minha mulher deitou-se de bruços,
dizendo que só faltava uma nova massagem. Como eu sabia que ela tinha
um creme na bolsa, peguei e coloquei sobre a sua bunda, sugerindo mais
uma massagem. Valter adorou a ideia, e começou a massageá-la, mas só
na bunda, pois já sabia que ela gostava, e a seguir, passou para as
costas, mas já posicionando o cacete para enrabá-la outra vez. Mag,
agora deitada, com o amigo deitado sobre ela, apertando seus peito e
com o pau dele dentro do rabo, era a imagem da felicidade. Ficaram
assim por muito tempo, até ele enchê-la de porra outra vez.
Como a Mag havia gostado do resultado da chupação, estávamos
animados, mas ela foi logo cortando, que tinha engolido a porra para
atender aos nossos pedidos, mas nunca mais ia querer, é muito nojento!
Será???
Saímos por volta das duas horas do motel, fomos deixar o
nosso amigo perto de um posto de gasolina, onde estava seu carro, e
voltamos felizes para casa. Estas experiências nos divertiam e faziam
nosso amor ficar mais forte e confiante a cada dia. O nosso grande
arrependimento era só o de não termos começado a mais tempo!
Espero que gostem de mais este relato, e ficaria muito
feliz se pudessem comentar alguma coisa, pois é muito importante para
saber se continuo enviando outros contos sobre as nossas aventuras,
alem de outros onde contarei sobre a minha participação na
inicialização de outros casais, que também ficaram muito felizes.
Escrevam também para fc.mag@hotmail.com, e vamos ser amigos.
Leia outros contos deste autor.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s